Início » Janeiro Branco: Psicólogo fala sobre a saúde mental em Não-Me-Toque

Janeiro Branco: Psicólogo fala sobre a saúde mental em Não-Me-Toque

por Daiane Giesen
381 visualizações

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), uma em cada quatro pessoas no Brasil enfrentará algum transtorno mental ao longo da vida. Doenças decorrentes do estresse, como ansiedade, depressão e pânico, são preveníveis e tratáveis. Pesquisas recentes revelam que pelo menos 21% da população consultada visitou algum profissional de saúde mental entre julho de 2022 e agosto de 2023, com 15% diagnosticados com ansiedade, 8% com depressão e 8% com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH).

O início do ano marca não apenas o começo de novas metas e desafios, mas também o início de uma importante campanha no Brasil: o Janeiro Branco. Em seu décimo ano consecutivo, a iniciativa busca conscientizar a população sobre a importância da saúde mental e emocional, focando na prevenção de doenças derivadas do estresse, como ansiedade, depressão e pânico.

O psicólogo Thomas Camargo, da Secretaria de Ação Social de Não-Me-Toque, destaca a relevância de não apenas abordar as doenças mentais, mas também promover ativamente a saúde mental. Em uma entrevista exclusiva, ele ressalta que o mundo contemporâneo, com relacionamentos cada vez mais superficiais e mutáveis, contribui para uma “pandemia silenciosa do adoecimento mental”.

Camargo alerta que o adoecimento mental não é causado por um único fator, mas sim por uma soma de elementos em diferentes esferas da vida. “Todas as esferas da tua vida, elas estão conectadas e elas geram resultados, ou negativos para você”, afirma o psicólogo.

O lema do Janeiro Branco de 2024, “Saúde Mental Enquanto Há Tempo”, destaca a importância de buscar ajuda e melhorar antes que o adoecimento se instale. Camargo enfatiza que, geralmente, leva de um a dois anos para que uma pessoa adoeça do estresse, tornando crucial a intervenção precoce.

O psicólogo destaca a necessidade de procurar tratamento para problemas de saúde mental, assegurando que a maioria dos transtornos psiquiátricos tem tratamento e até mesmo cura. Ele diferencia entre cura e controle, mencionando que algumas condições, como a esquizofrenia e o transtorno do humor bipolar, podem ser controladas, permitindo uma vida normal, mesmo que o tratamento não resulte na cura total.

“A prevenção é fundamental”, ressalta Camargo, acrescentando que muitas pessoas ignoram essa necessidade devido ao ritmo acelerado da vida moderna. Ele destaca elementos básicos para a promoção da saúde mental, incluindo sono regulado, bons relacionamentos, lazer, desconexão digital e a busca ativa pela felicidade.

Quanto aos serviços de saúde mental em Não-Me-Toque, Camargo assegura que a comunidade está bem assistida. Os postos de saúde estão preparados para receber pessoas em sofrimento mental, oferecendo encaminhamentos adequados e tratamento. Ele destaca que a política de assistência social busca evitar vulnerabilidades, melhorar as estruturas familiares e livrar as famílias dos problemas que possam afetar seu ambiente.

Diante desse cenário, o Janeiro Branco é um convite à reflexão e à ação, lembrando a todos que a saúde mental é um ativo valioso que deve ser cuidado e preservado ao longo do ano. Enquanto o mês se veste de branco, é hora de iluminar os caminhos da saúde mental em busca de uma sociedade mais equilibrada e resiliente.

Publicações Relacionadas

Receba nosso Informativo

Informação de Contato
656415
© 2023 - Grupo Ceres de Comunicação - Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade